Arquitectura Sustentable
Edificios y espacios urbanos sustentables
 
 

EDUCACION

 

LOS LABORATORIOS EN DONDE SE FORMAN LOS ESPECIALISTAS EN SUSTENTABILIDAD

Hacer que los edificios existentes y los nuevos que se construyan de ahora en más, sean ambientalmente mas sustentables, no es una moda. Los problemas ambientales globales entre los que se destaca el Calentamiento Global, otorga prioridad a este objetivo de alcanzar una mayor sustentabilidad edilicia. Mas aún, de acuerdo a los expertos del Panel Intergubernamental para el Cambio Climático (IPCC) el tiempo se acaba y las medidas a tomar en relación con la disminución en la emisión de gases de efecto invernadero son algo mas que urgentes.

Sin embargo, a veces asombra la liviandad con que desde algunos medios vinculados con la labor arquitectónica se mencionan estos temas, reduciéndolos a suponer que solo se trata de colocar "algún alerito, allí donde incida mucho el sol".

Proponer edificios mas sustentables tampoco se improvisa. Existe alguna tendencia a suponer que el diseñador conoce todo lo necesario aunque nunca haya hecho una formación específica en el tema. Nada mas lejos de la realidad. Un edificio que se diseñe con el objetivo puesto en alcanzar una mayor sustentabilidad ambiental, debe de ser el resultado de un esfuerzo conjunto y armónico entre diseñadores y especialistas, al menos hasta que las nuevas generaciones que hoy se están formando, integren ambos saberes y aptitudes.

Es precisamente para la formación de estas nuevas generaciones que existen en muchas Universidades Latinoamericanas, los Laboratorios específicos organizados para la enseñanza de grado, la investigación, el apoyo y la formación de maestrandos y doctorandos en sustentabilidad, confort ambiental, eficiencia energética, confort visual y auditivo, etc. entre los muchos y variados temas que hacen al universo de esta temática.

Para ello hace falta espacio, equipos e instrumental tanto de uso general como de aplicación muy puntual y específica según las características de cada proyecto en desarrollo, un plantel docente adecuado en número, tiempo de dedicación y formación, una generosa cantidad de computadoras y demás elementos informáticos y una abundante y sólida variedad de software tanto propio como adquirido.

A manera de ejemplo, mostramos la detallada descripción del Laboratorio de Confort y Eficiencia Energética que funciona en la Facultad de Arquitectura de la Universidad de San Pablo que generosamente nos hiciera llegar su Directora la Prof.Dra. Márcia Alucci.

Destacamos que si bien es este un excelente Laboratorio, no es el único. Muchos mas, de características mas o menos similares funcionan en la actualidad en Universidades Latinoamericanas.


LABAUT - Laboratório de Conforto e Eficiência Energética do Departamento de Tecnologia da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo


Prof. Dra. Marcia Alucc

O LABAUT - Laboratório de Conforto e Eficiência Energética (http://www.usp.br/fau/labaut) foi criado formalmente em 1999, junto ao Departamento de Tecnologia da FAUUSP. O laboratório passou a ocupar o seu atual espaço físico em fevereiro de 2002, quando se deu de fato a sua implementação, e é registrado no CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico como um grupo de pesquisa desde junho do mesmo ano.

O LABAUT desenvolve atividades de projeto e pesquisa nas seguintes áreas: Conforto em edifícios e espaços abertos, Iluminação natural e artificial, Conforto acústico em edifícios e espaços externos, Ergonomia e mobilidade aplicada a edifícios e espaços externos e Eficiência energética de edifícios e espaços externos, visando o desenvolvimento de estratégias de projeto urbano e de edifícios ambientalmente corretas.

O LABAUT tem por objetivos: desenvolver pesquisas voltadas para a implementação de linhas ainda não consolidadas dentro da sua área de atuação; dar suporte técnico ao desenvolvimento de pesquisas da graduação e pós-graduação, inclusive de outras áreas, de outras unidades da USP ou de outras instituições; disponibilizar apoio laboratorial aos TFGs da FAUUSP; dar apoio a projetos de interesse social; e atender às solicitações da indústria da construção e setores públicos afins.

O LABAUT ocupa cerca de 110m² na FAUUSP, compreendendo postos de trabalho de simulação computacional para os pesquisadores, uma sala para armazenagem e montagem de equipamentos e uma sala de reuniões.

Com o novo espaço físico, foi possível a vinda de equipamentos já existentes de conforto ambiental que estavam na antiga sala do Grupo de Disciplinas de conforto ambiental. Desde a sua criação, o LABAUT ampliou sua capacidade laboratorial por meio de financiamentos de projetos de apoio didático pela Reitoria de Graduação e Pós-Graduação da USP, de projetos de aquisição de equipamentos financiados pela FAPESP - Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo e pelo CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, e de serviços prestados. Atualmente o LABAUT conta com equipamentos para trabalho de campo adquiridos no âmbito dos seguintes projetos:

  • Projeto FAPESP n. 95/05597-5, de autoria do Prof. Dr. Marcelo de Andrade Romero e da Prof. Anésia Barros Frota, quando foram adquiridos a estação meteorológica fixa ELE MM900, o confortímetro BK, 2 Norsonic e o 01dB - ambos ferramentas para acústica (valor do auxílio US$107.000).
    Projeto Didático com o apoio da Pró-Reitoria de Graduação (processo n.02.1.9773.1.4), da Prof. Dra. Márcia Alucci, aprovado em 2002, dentro do Programa de Valorização de Ensino de Graduação Reequipamento de Laboratório Didático (valor dos equipamentos R$ 86.696,76). Parte desses equipamentos é agrupada em quinze kits conforto contendo bússola, termômetro, anemômetro, luxímetro, decibelímetro e contador. Além disso, foram adquiridos: câmera fotográfica digital e lente grande angular para quantificação do fator de visão de céu, computador portátil e projetor multimídia para as aulas, além de alguns softwares de conforto ambiental.

  • Projeto Didático aprovado pela Pró-Reitoria de Pós-Graduação (documento n.50088185), da Prof. Dra. Márcia Alucci, aprovado em janeiro de 2003 para a aquisição de equipamentos de apoio às disciplinas e pesquisas de pós-graduação da área de Conforto Ambiental, no valor de R$28.624,00, incluindo uma estação meteorológica móvel, um computador portátil para conexão à estação, um luminancímetro, uma impressora A3 e material para a confecção de modelos físicos para o ensino de conforto ambiental.
  • Doação de material permanente resultante de bolsa de Doutoramento Fapesp 96/08396-3, da Prof. Dra. Denise Duarte (4 termômetros de mercúrio Incotherm).

  • Doação de material permanente resultante de bolsa de Doutoramento Fapesp 02/07513-9, da aluna Alessandra Rodrigues Prata (1 Estação Meteorológica Oregon Scientific WM 968 com comunicação via rádio-freqüência, placas avulsas para atualização de microcomputador e material bibliográfico).

  • Doação de material permanente resultante de bolsa de Doutoramento Fapesp 05/02568-8, do aluno Rafael Brandão (1 computador portátil, 1 impressora multifuncional, 1 HD externo, 1 no-break).

  • Projeto de Pesquisa aprovado pelo CNPq em maio de 2004, da Prof. Dra. Márcia Alucci, no valor de R$10.000,00, chamada 06/2003, intitulado Coberturas têxteis: determinação das características térmicas e luminosas, processo n. 403188/2003-2, sob a coordenação da Prof. Dra. Márcia Peinado Alucci. Com este projeto foram adquiridos dois computadores, peças de reposição, uma impressora e foi construída uma caixa padronizada de ensaios ASTM para a determinação de características térmicas e luminosas de membranas.

  • Projeto de Pesquisa aprovado pelo CNPq em julho de 2007, no valor de R$6.000,00, Edital MCT/CNPq 50/2006 - Ciências Humanas, Sociais e Sociais Aplicadas, intitulado O impacto da vegetação nos microclimas urbanos, processo n. 400938/2007-3, sob a coordenação da Prof. Dra. Denise Duarte. Com este projeto foram adquiridos dois computadores portáteis.

O LABAUT hoje conta com cerca de 30 pesquisadores, incluindo docentes em RDIDP e RTC, colaboradores em RTP, e alunos de Iniciação Científica, Mestrado, Doutoramento, Pós-Doutoramento, além dos alunos de TFG que desenvolvem trabalhos no grupo.

Atualmente o LABAUT conta com professores em dedicação integral e em tempo parcial, além de colaborações e parcerias internas e externas à FAUUSP.

Internamente as colaborações se dão principalmente com o LAME - Laboratórios de Modelos e Ensaios, para a construção do heliodon, céu artificial e túnel de vento, nessa oportunidade coordenado pelo Prof. Dr. Reginaldo Ronconi, o LUME - Laboratório de Urbanismo da Metrópole, coordenado pela Profa. Dra. Regina Meyer e Profa. Dra. Marta Dora Grostein, e pelo LABFAU - Laboratório de Fundamentos de Arquitetura e do Urbanismo, coordenado pela Profa. Dra. Maria Ruth Amaral de Sampaio. Externamente, as parcerias acontecem com o IAG/USP - Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas, nos laboratórios MASTER e LabMicro, pela cessão de dados meteorológicos e imagens de satélite, EPUSP - Escola Politécnica, para licenças de softwares, IF/USP - Instituto de Física, para uso do espectrofotômetro, Secretaria do Verde e do Meio Ambiente da Prefeitura Municipal de São Paulo, para troca de informações sobre vegetação urbana, IPT - Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo para uso do túnel de vento do Laboratório de Vazão (Projeto Temático FAPESP n.98/15402-5) nas pesquisas de graduação e pós-graduação e LNEC - Laboratório Nacional de Engenharia Civil, Lisboa, Portugal, também para o uso de túnel de vento.

O LABAUT tem softwares de simulação computacional e bancos de dados produzidos por integrantes da equipe, todos de domínio público, e disponíveis para download no endereço eletrônico do laboratório na FAUUSP. São eles: Acústico 3.0, Fachada 2.1, Lux 2.0, Chaminé 2.5, Tensil 1.3, Brise 1.3, Tao versão beta 3, Urbanus 1.0 e Condena 2.1 (Márcia Alucci), Humano 1.1 (Daniel Cóstola e Márcia Alucci), Climaticus 4.2 (Márcia Alucci e Gabriela Audi), Obstrução 1.0 (Rafael Brandão), Windoor (Fernando Cremonesi), CTCA (Tiago Ribeiro e Karin Marins), Banco de Dados de Acústica 1.2 (Márcia Alucci e Paula Constante Santos), Banco de Dados de Vidros (Márcia Alucci, Celso Longo e Marcos Inoue) e DLN (Paulo Scarazzato). Dentre os softwares comerciais, as licenças incluem Ecotect 5.2, Tas 8.5 (2 assentos), CFX 11.0 (6 assentos) e Fluent 6.1.2 (licença da Escola Politécnica da USP em colaboração com a FAUUSP), além de softwares de uso livre como o Envi-MET e o Energy Plus.

Os computadores, utilizados para trabalhos de campo e simulação computacional, foram sendo adquiridos paulatinamente por meio de projetos externos (CNPq e FAPESP), Projeto 1 (Pró-Reitoria de Pesquisa da USP), e serviços prestados.